Cerimónia Religiosa na Serra do Pilar

Agora que o processo está completo, venho então ajudar todos aqueles que procuram saber como é casar na Serra do Pilar. 

Copyright: Um ano para casar
Como já referi aqui é processo demorado e com bastantes detalhes. Porém, vale todo o trabalho e dinheiro do mundo!

Depois de tratarem do papéis referentes ao pároco que vos vai casar, é necessário então 6 meses antes tratar da parte burocrática toda.

Primeiro, é necessário ir à conservatória pedir a certidão para o casamento, onde define quem casa com quem e qual o regime em que casam. Só aqui, são 120€ e demora uma semana até ficar pronta. 

Após terem este papel em vossa mão, devem dirigir-se e entregá-lo ao padre da freguesia onde a noiva ou o noivo reside (no meu caso, como alterei a morada uns 6 meses antes, tive de tratar do processo na nova freguesia e não naquela que residi estes anos todos, basta no sistema nacional alterar a morada, que automaticamente já devem tratar na morada que têm no cartão do cidadão e na certidão para o matrimonio). Neste momento, vão pedir-vos a fotocópia dos vossos cartões de cidadão, as moradas de residência, onde foram batizados e moradas onde já tenham residido após os 14 anos. 

Como ja tínhamos feito o CPM em Santa Maria da Feira, também levamos o certificado de presença (aconselhamos muito a fazerem lá, pois além de ser um fim-de-semana intensivo, gostamos muito do ambiente e das reuniões e do Sr Padre). Uma nota importante: inscrevam-se com antecedência no CPM, pois quanto mais rápido o fizerem, mais tranquilos ficam. Contávamos com algo bem mais massudo e chato, mas toda gente deve fazer, pois leva algumas lições importantes que damos por garantidas.

Passado mês e meio, ligaram-nos para ir falar com o Padre da minha paroquia. Tratada esta reunião, mais uma semana e meia de espera, para os papéis irem para a diocese do Porto e voltarem. Feito isto, mais uns 170€ (é mais caro por ter sido na Serra do Pilar) e papelada debaixo do braço para entregar na paróquia do Candal e Santa Marinha. Fui lá a um sábado de manhã e junto do processo levei as cópias do cartão de cidadão das testemunhas e respectivos estados civis e moradas, para além de terem de confirmar se adoptam o apelido do marido ou não (pagamos mais 50€). Eles pedem para entregar estes documentos com um mês de antecedência.
Posto isto: Relaxar, fazer a despedida de solteira e aproveitar todos os dias com muita tranquilidade!
Espero que este texto ajude a todos aqueles que querem casar lá e, tal como eu, gostam de saber tudo com mais antecedência!

Advertisements

Cerimónia civil ou religiosa?

É das primeiras questões a tratar:

1 – Queremos uma cerimónia civil apenas?

2 – Espera lá, até não sou muito religioso, mas quero celebrar uma missa…

3 – O que preciso afinal?

Várias questões devem ser respondidas e é a primeira coisa a tratar. Se for apenas civil, trata-se do assunto, combina-se o dia e um local. No entanto, a igreja já pede mais burocracia, porque primeiro devemos tratar de casar até 6 meses antes no civil (se não perde validade) e segundo temos de tratar de uma série de papéis (depois também varia de diocese para diocese) e do Curso Para o Matrimónio (no nosso caso é no Porto). Ainda para mais, escolhemos a Serra do Pilar para o nosso casamento, que ainda obriga a que arranjemos um Padre e obriga a mais papéis ainda… Já vamos a meio do processo e farei aqui uma lista para ajudar a todos os que queiram ter uma idéia de como é.

Resumindo a nossa decisão: Tendo em conta os valores que nos foram incutidos, achámos por bem realizar a celebração religiosa. Não somos as pessoas mais praticantes à face da terra, porém, é uma tradição que faz todo o sentido no nosso seio familiar, é a crença de que algo simbólico e muito real dará o início de uma nova vida a dois (isto de um ponto de vista muito romântico, é destas coisas que se trata a preparação de um casamento, muita lamechice).

Afinal de contas, quem nunca imaginou como será estar daquele lado?