Cerimónia Religiosa na Serra do Pilar

Agora que o processo está completo, venho então ajudar todos aqueles que procuram saber como é casar na Serra do Pilar. 

Copyright: Um ano para casar
Como já referi aqui é processo demorado e com bastantes detalhes. Porém, vale todo o trabalho e dinheiro do mundo!

Depois de tratarem do papéis referentes ao pároco que vos vai casar, é necessário então 6 meses antes tratar da parte burocrática toda.

Primeiro, é necessário ir à conservatória pedir a certidão para o casamento, onde define quem casa com quem e qual o regime em que casam. Só aqui, são 120€ e demora uma semana até ficar pronta. 

Após terem este papel em vossa mão, devem dirigir-se e entregá-lo ao padre da freguesia onde a noiva ou o noivo reside (no meu caso, como alterei a morada uns 6 meses antes, tive de tratar do processo na nova freguesia e não naquela que residi estes anos todos, basta no sistema nacional alterar a morada, que automaticamente já devem tratar na morada que têm no cartão do cidadão e na certidão para o matrimonio). Neste momento, vão pedir-vos a fotocópia dos vossos cartões de cidadão, as moradas de residência, onde foram batizados e moradas onde já tenham residido após os 14 anos. 

Como ja tínhamos feito o CPM em Santa Maria da Feira, também levamos o certificado de presença (aconselhamos muito a fazerem lá, pois além de ser um fim-de-semana intensivo, gostamos muito do ambiente e das reuniões e do Sr Padre). Uma nota importante: inscrevam-se com antecedência no CPM, pois quanto mais rápido o fizerem, mais tranquilos ficam. Contávamos com algo bem mais massudo e chato, mas toda gente deve fazer, pois leva algumas lições importantes que damos por garantidas.

Passado mês e meio, ligaram-nos para ir falar com o Padre da minha paroquia. Tratada esta reunião, mais uma semana e meia de espera, para os papéis irem para a diocese do Porto e voltarem. Feito isto, mais uns 170€ (é mais caro por ter sido na Serra do Pilar) e papelada debaixo do braço para entregar na paróquia do Candal e Santa Marinha. Fui lá a um sábado de manhã e junto do processo levei as cópias do cartão de cidadão das testemunhas e respectivos estados civis e moradas, para além de terem de confirmar se adoptam o apelido do marido ou não (pagamos mais 50€). Eles pedem para entregar estes documentos com um mês de antecedência.
Posto isto: Relaxar, fazer a despedida de solteira e aproveitar todos os dias com muita tranquilidade!
Espero que este texto ajude a todos aqueles que querem casar lá e, tal como eu, gostam de saber tudo com mais antecedência!

Advertisements

Falta cada vez menos!

Passar de um ano até uns dias na contagem final, aterroriza qualquer um. Por mais que se planeie e organizemos tudo, há coisas que só mesmo no fim aparecem feitas:

  • É os processos religiosos que deixam tudo para o final
  • A decoração que não fica tratada como queremos e com tempo
  • É as pressões familiares que teimam em enfiar o nariz em tudo
  • É os vestidos das meninas que dão mais trabalho que a noiva

É só pormenores… Pormenores que para nós fazem a diferença! Ou seremos complicadas?

IMG_20161202_131137
Lago Como

Em caso de dúvida: Respirar fundo, meditar e agradecer! Tem sido isto que tenho em mente. Isto e viajar, aprender novas coisas… E limpar de todas as frases negativas (como as do início do texto) e ver como tenho sorte de todo este processo, de todas as lutas e todas as conquistas. Nada de extraordinário vem sem esforço… e eu pergunto. O nosso casamento não o é? 🙂

É tudo uma questão de listas…

Quando se começa a planear um casamento, toda a ajuda é boa.

Eu comecei-me a guiar por sites de referência: Casamento.pt ou a Zankyou são boas fontes de inspiração e com vários guias de fornecedores. As listas que estão nos sites são óptimas e os fóruns estão cheios de boas pessoas que dão as mais diversas opiniões e sugestões.

Há duas coisas a fazer mal ficámos noivas:

1º Marcar a celebração religiosa (se for numa igreja, principalmente concorrida convém marcar com um ano)

2º Começar a ver Quintas – Há quintas totalmente cheias na época alta com um ano e meio de antecedência.

Foram dias infindáveis e Sábados cheios. Com marcações de duas em duas ou três em três horas de reuniões, visitas, apresentação de menus e preços. Para ajudar à festa, ainda tinha dias da semana com marcações às 18h30. Só assim deu rendimento e uma decisão rápida, visto que nem todas fazem pré-reservas e as mais concorridas são ou as mais bonitas ou as mais em conta do ponto de vista preço-qualidade.

Um bloco e umas listas, além de uma agenda, ajudam bastante em todo o processo. Definir prazos e orçamentos vão facilitar as 1000 decisões a tomar. E acima de tudo: Nunca pensem no casamento para os outros, façam como desejam, pois quanto mais dermos o casamento às opiniões alheias, menos romântico será para nós (sempre com moderação, claro!).

 

Um Feliz ano 2017 a todos aqueles que estão nesta aventura!

 

Este ano é o ANO.