Tema de casamento

É uma das primeiras coisas sobre as quais pensámos. Um tema!

Aliar o romantismo, com os gostos do casal e toda uma festa à volta de um tema nem sempre é fácil, mas é muito divertido de se fazer.

Das duas opções escolhemos: Cerveja Artesanal. É algo que fazemos enquanto casal, ambos adorámos cerveja e, sinceramente, dá-me um gozo terrível fazer toda a parte da decoração, lembranças e planos à volta desta bebida! E para cereja no topo do bolo: Fui pedida em casamento no Porto Beer Fest, nos jardins do Palácio de Cristal. (Nada que não soubesse, já estávamos a planear o assunto, mas não deixa de me encher de orgulho.)

Depois lá vêm as trocas de idéias, o brainstorming, as lembranças, as flores. Devo admitir que me tem dado um certo gozo a novidade do tema, pois não é muito recorrente. Adoro sentir que estou a arranjar novos desafios às designers, decoradoras e floristas por aí. Ensinar algo novo e partilhar conhecimento.

Não minto: nem tudo é fácil, personalização leva dinheiro ou muito esforço dos noivos, porém é aqui que fazemos do nosso casamento mesmo nosso! Em breve partilharei aqui um moodboard para inspiração, para todos aqueles que quiserem arriscar neste tema!

Cheers 🙂

Casar antes dos 30…

Sempre fui daquelas pessoas que dizia que não casava antes dos 30… Contudo a vida dá voltas e muitas voltas: um emprego fixo desde que sai da faculdade, viagens constantes e jantares para nos encontrarmos… Enfim, o próprio sentimento de que crescemos fez com que o nosso relógio biológico começa-se a tocar.

Tanto tocou, que um belo dia dissemos: É para o ano! No meio de muita ginástica emocional e financeira começamos a correr o terreno e a anotar tudo o que faltava.

E o que faltava? Tudo! Não havia casa comprada nem alugada, não havia tachos nem panelas, não havia nada para o casamento e após o casamento. As coisas nem sempre podem ser planeadas a longo prazo e, sinceramente, não era algo que estivesse a planear fazê-lo assim de repente. Se não fosse o apoio dos pais, amigos e a confiança mútua de que somos capazes, nem sequer o matrimónio seria uma opção válida.

Já mais do que uma vez dei por mim a pensar nos últimos meses que sou louca ao pensar em meter-me a organizar um casamento. Ainda assim, a verdade é que me dá um certo gozo e divertimento toda esta história. Dos momentos mais triste e decisões difíceis… até àqueles dias que tudo é um mar de rosas e fácil, esta vai ser a nossa história e se não fosse contada e registada, perdia-se muito!