Cerimónia civil ou religiosa?

É das primeiras questões a tratar:

1 – Queremos uma cerimónia civil apenas?

2 – Espera lá, até não sou muito religioso, mas quero celebrar uma missa…

3 – O que preciso afinal?

Várias questões devem ser respondidas e é a primeira coisa a tratar. Se for apenas civil, trata-se do assunto, combina-se o dia e um local. No entanto, a igreja já pede mais burocracia, porque primeiro devemos tratar de casar até 6 meses antes no civil (se não perde validade) e segundo temos de tratar de uma série de papéis (depois também varia de diocese para diocese) e do Curso Para o Matrimónio (no nosso caso é no Porto). Ainda para mais, escolhemos a Serra do Pilar para o nosso casamento, que ainda obriga a que arranjemos um Padre e obriga a mais papéis ainda… Já vamos a meio do processo e farei aqui uma lista para ajudar a todos os que queiram ter uma idéia de como é.

Resumindo a nossa decisão: Tendo em conta os valores que nos foram incutidos, achámos por bem realizar a celebração religiosa. Não somos as pessoas mais praticantes à face da terra, porém, é uma tradição que faz todo o sentido no nosso seio familiar, é a crença de que algo simbólico e muito real dará o início de uma nova vida a dois (isto de um ponto de vista muito romântico, é destas coisas que se trata a preparação de um casamento, muita lamechice).

Afinal de contas, quem nunca imaginou como será estar daquele lado?

Advertisements